Pedro Matos, a promessa do Kitewave nacional

Nascido no Rio de Janeiro, Pedro Matos de 18 anos, iniciou no Kitesurf aos 12 e um ano depois já começou a competir. Ele, que reside na Barra da Tijuca, começou desde pequeno a praticar esportes. Aos 4 anos de idade, voou de asa delta com seu pai, e não parou por aí.

Além de ser prodígio no Kitesurf, ele é freesurfer, anda de skate, faz snowboard, pesca submarina, wakeboard, e ainda se arrisca na altinha em momentos de lazer. Já viajou para o Peru, Hawaii, Califórnia, Maldivas e Tahiti.

12122933_1175035705857083_9071111625407111178_n

Pedro Matos manobrando no Postinho – Barra da Tijuca – RJ

Com um currículo recheado de experiências, com 16 anos terminou em 5º no Campeonato Brasileiro Open, aos 17 foi campeão Sul Americano no Peru, vice campeão na categoria strapless do campeonato brasileiro de Kitesurf, e 3º lugar nas modalidades kitewave e também nos Jogos Cariocas de verão em Janeiro de 2016. Conheça um pouco mais sobre essa fera!

⦁ Quando você começou a praticar esportes? Você disse ter voado de asa delta com seu pai aos 4 anos, sua influência veio dele?
P: Comecei a praticar esportes aos 2 anos. Meu pai já me botava para descer a rampa do pepino de skate e aí foi indo até hoje. Na verdade, fui eu quem influenciou ele a velejar, meus primos e meus tios já velejavam. Aos 4 anos comecei a surfar com meu pai me empurrando na beirinha, e depois fiz escolinha por bastante tempo.

⦁ Você pratica esportes que não são usuais entre os jovens da sua idade, como pesca submarina, snow e wake. Conte um pouco de como você se interessou por essas atividades.
P: Sempre viajei muito desde pequeno pelo menos duas vezes durante o ano. Meu padrasto e meu pai amam esportes, o que acabou me influenciando à praticar todos esses outros esportes. Hoje em dia viajo para lugares onde tem Kite ou viajo para competir, nessas trips acabo treinando e evoluindo cada vez mais.

⦁ Quando começou no Kitesurf seu interesse de início já era o Kitewave?
P: Meu interesse no começo era freestyle (o que salta), só que pelo fato de eu ser surfista me encontrei mais no Kitewave e me apaixonei! Gosto de todas modalidades, mas quando dá velejo só quero entrar com a prancha de surf, pois além de dar para surfar, dá pra dar saltos sem alça.

⦁ Qual é o seu lugar preferido para surfar de Kite? E qual o lugar você gostaria de surfar de Kite que ainda não tenha surfado?
P: O melhor lugar q eu ja velejei foi Backyards no Hawaii. Melhor velejo do mundo! Água limpa, sol e onda perfeita. Eu também amo esse lugar para surfar, mas no surf a melhor onda pra mim é na praia de Jailbreaks em Maldivas (das ondas que eu já surfei). O lugar onde ainda não surfei e gostaria de ir é para Lakey Pipe na Indonésia, onde tem tubos e manobras. Perfeito demais!

⦁ Você também gosta de surfar de Kite ondas grandes? Já surfou as big waves em suas viagens para o Hawaii? Qual era o tamanho?
P: Eu amo pegar onda grande de Kite quando dá. O maior mar que eu pude pegar de kite foi 8 pés em Backyards, mas tenho muita vontade de surfar em Jaws de Kite.

O que te impulsionou a começar a competir de Kite?
Eu sempre gostei de desafios, de adrenalina, frio na barriga, então a competição me deixa muito assim. E sempre tive um sonho de ser campeão mundial, assim como meu pai foi no vôo livre e minha irmã no jiu-jitsu.

⦁ Você já participou de competições em algum outro esporte como Surf ou Snow?
P: Já participei de competição de surf pelo menos três vezes. Fui vice campeão uma vez no campeonato do Arpex.

⦁ Quais os seus objetivos do Kitesurf? Pretende levar o esporte como profissão?
P: Tenho o sonho de ser campeão mundial em Marrocos. Eu faço faculdade de Economia, e treino kite. Vou levando até onde dá, mas se eu tiver que parar um tempo de estudar para treinar, eu farei isso e depois voltarei aos meus estudos.

⦁ Qual é o seu ídolo máximo no Kitewave, você se inspira nele?
P: Não tenho um ídolo máximo, mas tenho muitos que me inspiram, como Keahi de Aboitz, Airton Cozzolino, Zaga Gonzaga e Filippe Ferreira.

⦁ Como veio o patrocínio que você fechou com FURNAS recentemente? Você já esperava esse reconhecimento pelos seus resultados?
P: Veio com o tempo, Filippe e Mila Ferreira tinham o patrocínio de Furnas, e então os olhos deles começaram a brilhar pra mim, falando que eu sou a promessa do Kite no circuito mundial. Eles acreditam muito no potencial, pela idade que eu tenho, no campeonato que cheguei em 2°lugar, nas semis retirei o Filippe que é 3 vezes campeão brasileiro e 4° do mundo!!!

[doptg id=”210″]

 

Siga o Pedro no Instagram: https://www.instagram.com/pedromatosg/

Fonte – Surf Connect

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário