Novo recorde mundial de travessia sem paradas

0ed187f8-30cd-43ec-baae-fa3bc5a325ea-600x360

Francisco Lufinha conseguiu novamente! Em 07 de julho de 2015, Francisco estabeleceu um novo recorde mundial percorrendo 874 quilômetros, registrando “a mais longa travessia de kitesurf sem paradas”, ao tentar velejar de Lisboa à Ilha da Madeira no MINI Kitesurf Odyssey 2015. Lufinha velejou non-stop durante 47 horas e 37 minutos em mar aberto.

11692693_900121256711671_4836277363657832187_n-600x399
Este desafio não foi somente uma prova física, mas também um grande esforço psicológico para superar as muitas alucinações que Francisco sentiu durante as últimas 24 horas da sua odisseia. Além da fadiga do corpo pela falta de sono e tempo dentro da água, também tiveram dois imprevistos que Lufinha passou para concluir o recorde.

thumb2_71890


O primeiro aconteceu na primeira noite, com visibilidade zero, Lufinha caiu perdendo a sua prancha e também sua comunicação com o barco de apoio. Ele teve que ativar o sinalizador e foi alcançado pelo barco de apoio apenas 20 minutos mais tarde, com uma nova prancha pode seguir a travessia. Na segunda noite, um segundo imprevisto ocorreu quando Lufinha adormeceu velejando em alta velocidade e bateu contra o barco de apoio. Ele foi atropelado pelo barco, passando completamente sob ele e entre os motores. Felizmente, a experiência do capitão fez com que nada acontecesse. Com apenas um pequeno arranhão e uma grande injeção de adrenalina, Lufinha se manteve acordado para continuar a travessia pelo resto da noite.

11700926_899893480067782_7043592777771973560_o-600x400

A reta final do percurso até à Madeira teve de ser feita de barco. Ao fim de 874 quilômetros no Atlântico, 310 acima do anterior recorde do mundial, o português de 31 anos decidiu parar. A ilha de Porto Santo já surgia no horizonte, mas o vento soprava com muita força e os músculos, depois de 47 horas e 37 minutos de trabalho, clamavam por descanso.

“Já não aguentava mais”, admite o kitesurfista. “O meu equipamento, como sempre, insistia para que eu continuasse, mas já tinha cumprido um dos objetivos e naquela altura estava caindo da prancha de cinco em cinco segundos”.

Lufinha partiu de uma das principais praias de Lisboa, o Terreiro do Paço, no dia 5 de julho, seguido por centenas de fãs, velejadores de windsurf e kite no Rio Tejo. Ele chegou à Ilha da Madeira em clima de festa, onde centenas de pessoas estavam esperando para cumprimentá-lo. Mesmo não completando 100% do percurso, Lufinha ficou muito feliz com o recorde e está planejando a próxima aventura para o Mini Kitesurf Odyssey 2016.

Veja a entrevista com Francisco Lufinha e um chat com algumas perguntas sobre a travessia abaixo:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário