Entrevista Reno Romeu – Dakhla 2013

Confira a entrevista exclusiva com o kiteboarder Reno Romeu, no blog Vendo a Vida de Lado. André Magarão conversou com o carioca sobre as expectativas dele para o Mundial de Kite, que começa na próxima 3ª feira.

A primeira etapa do Campeonato Mundial de Kiteboard Freestyle, o PKRA, vai acontecer entre os dias 19 e 24 de março na cidade de Dakhla no Marrocos. A etapa vai contar com a participação de vários brasileiros como o Reno Romeu, a Bruna Kajiya, o Set Texeira, o Eudázio da Silva e o Carlos Madson. Recentemente, tive a oportunidade de fazer algumas sessions de fotos com o carioca Reno Romeu, na Barra, no Rio de Janeiro. Reno terminou o ano de 2012 como o brasileiro mais bem colocado no ranking masculino, em oitavo lugar. E, aproveitei para conversar com ele sobre as expectativas para esse ano de 2013 e essa primeira etapa tão particular no meio do nada.

Andre: Esse ano você fez uma preparação diferente, conta um pouco como foi.

Reno: Ter ido a Africa do Sul foi uma das viagens mais maneiras que fiz. Fui pra la convidado da Red Bull para competir o Red Bull King of the Air e aproveitei e fiquei la mais de um mês treinando.
As condições para kite lá não são as melhores, mas nessa época do ano, é um dos lugares no mundo onde tem a maior constância de vento. Muitos atletas do ranking mundial vão pra lá treinar, pelo menos os TOP 10 estavam lá.
É bom todo mundo treinar lado a lado, a amizade da maioria dos atletas é boa, então sempre ficamos puxando um ao outro no treino, e isso é muito importante para o esporte e para a gente. Sempre existem algumas pessoas que não gostam de treinar na frente do outro para não mostrar o seu nível, então esses atletas andavam em outros picos.
Lá em Cape Town, você tem uma variedade de lugares muito grande, então todo dia você acorda, checa as condições e dirigi até o lugar com as melhores condições, dirigir pra cima e para baixo durante o mês inteiro cansa, mas é o preço para estar no melhor lugar e fazer o treino render.
Acho que em poucas cidades consegui ficar tanto tempo sem encher o saco. Cape Town é uma cidade muito irada, muito completa e organizada. Então quando você quer ter uns dias de folga nos treinos existem muitas coisas para fazer. Outros esportes, passeios como safari, lugares turísticos, festas, bares e muita gente bonita.
Uma coisa que me impressionou foi a beleza natural do lugar. É um dos lugares mais bonitos que ja fui em termos de relevo.
Nessa temporada de treino não ganhei muito nível em termos de aprender manobras novas, mas o fato de você estar sempre na aguá faz bastante diferença, especialmente porque fiquei bastante tempo fora d’água ano passado pelas lesões que sofri, não podendo competir algumas etapas to mundial. E pratica leva a perfeição

Andre: e quais são os seus objetivos/expectativas para esse ano?

Reno: quero correr esse ano sem pressao, tentar relaxar ao maximo nas competições e me divertir, eu me conheço e mesmo falando isso, sei que quando chegar na hora sempre levo tudo muito a sério, mas vou tentar, quero tentar novas técnicas comigo mesmo de concentração e ver com elas funcionam.

Andre: essa primeira etapa é bem particular porque é em um lugar bem louco mas ao mesmo tempo é um lugar aonde as condições costumam ser boas. Essa já vai ser a segunda vez que você vai para esse lugar no Marrocos, conta um pouco sobre como é o evento por lá.

Reno: é, na verdade esse lugar em marrocos venta muito, mas em 2011 quando fui nos dias da competição o vento ficou fraco, e ano passado nao fui porque estava machucado, mas o vento também ficou fraco nos dias da competição, então tudo pode acontecer. Lá é um lugar bem exotico, em uma cidade militar em Marrocos, não existem espectadores, tudo é filmado e fotografado e ai sim milhares de pessoas assitem nas suas tvs em casa. O público pode assistir no live stream também, mas como o lugar é bem remoto pode ser que de alguns probleminhas!

Andre: Tirando a etapa da Nova Caledônia, essa etapa é a que tem a possibilidade de ter as melhores condições. O esporte tem ido bastante nessa direção de double handle passes (manobras de giro de 540 ou 720) e manobras bem técnicas. Você acha que o nível vai ser mais impressionante que no ano passado?

Reno: depende muito das condições, o kite é um esporte muito técnico, você tem que controlar a prancha o kite e ainda tem que torcer para o resto das coisas que você não pode controlar também darem certo, com a rajada do vento, a decolagem e a aterrissagem na água com ondas, então as condições lá podem estar boas como ruins, depende muito. As vezes em lugares conhecidos como não tão bons acabam rolando dias muito bons.

Para saber mais sobre o Reno Romeu, veja a fan page dele no Facebook e siga ele no instagram @renoromeu.